O bypass gástrico em Y-de-Roux é a técnica bariátrica mais praticada no...

O bypass gástrico em Y-de-Roux é a técnica bariátrica mais praticada no Brasil

701
0
COMPARTILHAR

O bypass gástrico em Y-de-Roux é a técnica bariátrica mais praticada no Brasil, correspondendo a 75% das cirurgias realizadas, devido a sua segurança e sua eficácia na perda de peso e no efeito metabólico. O paciente submetido à cirurgia perde de 40% a 45% do peso inicial e tem bons resultados no controle das doenças relacionadas ao excesso de peso.

Muitas técnicas diferentes foram desenvolvidas no decorrer dos últimos 50 anos e o bypass gástrico em Y-de-Roux aprimorou-se a partir de marcos que nortearam a história da cirurgia de obesidade no mundo, como os grampeadores cirúrgicos, a videocirurgia e, mais recentemente, o acesso robótico.

No fim dos anos 60, enquanto as técnicas malabsortivas como a derivação jejuno-ileal ganhavam os holofotes, surgia uma nova proposta de onde nasceu a ideia do bypass gástrico.

Ainda tímido e embrionário, o bypass gástrico não era tão eficaz e seguro, mas foi amplamente estudado durante duas décadas, evoluindo para uma técnica mista irrefutável: o desvio do estômago para o intestino em formato de “Y”, desenvolvido anos antes pelo cirurgião suíço César Roux para o tratamento de outras doenças gástricas.

Técnica consagrada

“A consagração do bypass gástrico em Y-de-Roux entre os cirurgiões brasileiros se deve ao fato de a técnica reunir os principais mecanismos para a perda de peso em longo prazo com uma menor ingestão de alimentos e aumento da saciedade, bem como é capaz de controlar o diabetes mellitus tipo 2, a hipertensão, o colesterol, entre outras doenças associadas à obesidade”, ressalta o cirurgião Arthur Garrido, diretor do Instituto Garrido e pioneiro da técnica no Brasil.
Para Henry Buchwald, professor de Cirurgia e Engenharia Biomédica da Universidade de Minnesota, “o fato que revolucionou a história da cirurgia bariátrica foi a avaliação que a cirurgia bariátrica é também metabólica e que essa efetividade é uma função do mecanismo neuro-hormonal”.

Até o desenvolvimento de novos procedimentos e tecnologias e estudos com outras técnicas existentes, o bypass gástrico em Y-de-Roux continuará a ser considerado o “padrão ouro” em cirurgia bariátrica e metabólica, a melhor opção cirúrgica para o paciente obeso, proporcionando qualidade de vida e saúde, de forma segura e eficaz.

Nos EUA, o bypass gástrico divide a preferência dos cirurgiões com outras técnicas que vêm crescendo significativamente nos últimos anos, como a gastrectomia vertical (sleeve gastrectomy em inglês ou também chamada de manga gástrica) e a banda gástrica ajustável.

Segundo os dados da Sociedade Americana de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (ASMBS, em inglês), em 2013 foram realizadas nos EUA cerca de 179 mil cirurgias bariátricas, destas 42,1% gastrectomia vertical, 34,2% bypass gástrico, 14% banda gástrica, 6% revisional, 2,7% outros procedimentos e 1% duodenal switch.

 

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta