Contato: + 55 54 3045-4070

Notícias

 

              


ESTEATOSE A DOENÇA SILENCIOSA

CAUSAS DE GORDURA NO FÍGADO

Não se sabe exatamente por que alguns indivíduos desenvolvem esteatose hepática, mas algumas doenças estão claramente ligadas a este fato. Podemos citar:

Obesidade (leia: OBESIDADE E SÍNDROME METABÓLICA). Mais de 70% dos pacientes com esteatose hepática são obesos. Quanto maior o sobrepeso, maior o risco.
Diabetes Mellitus (leia: DIAGNÓSTICO E SINTOMAS DO DIABETES MELLITUS). Assim como a obesidade, o diabetes tipo 2 e a resistência à insulina também estão intimamente relacionados ao acúmulo de gordura no fígado.
Colesterol elevado (leia: COLESTEROL BOM (HDL) E COLESTEROL RUIM (LDL)). Principalmente níveis altos de triglicerídeos.
Drogas. Várias medicações podem favorecer a esteatose, entre as mais conhecidas estão: corticoides, estrogênio, amiodarona, antirretrovirais, Diltiazen e Tamoxifeno. O contato com alguns tipos de pesticidas também está relacionado ao desenvolvimento de esteatose hepática.
Desnutrição ou rápida perda de grande quantidade de peso.
Cirurgias abdominais, principalmente “bypass gástrico”, retirada de partes do intestino e até cirurgia para remoção da vesícula (leia: PEDRA NA VESÍCULA E COLECISTITE).
Gravidez.
Não é preciso ter alguma das condições citadas acima para ter esteatose hepática. Pessoas magras, saudáveis e com baixa ingestão de álcool também podem tê-la, apesar deste fato ser menos comum.

A esteatose hepática é mais comum no sexo feminino, provavelmente por ação do estrogênio.

SINTOMAS DA ESTEATOSE HEPÁTICA

A esteatose hepática não causa sintomas. Normalmente, o diagnóstico é feito acidentalmente através de exames de imagem, como ultrassonografias ou tomografias computadorizadas solicitadas por outros motivos.

Alguns pacientes com esteatose hepática queixa-se de fadiga e sensação de peso no quadrante superior direito do abdômen. Não há evidências, entretanto, que esses sintomas estejam relacionados ao acúmulo de gordura no fígado. Há pacientes com grau avançados de esteatose que não apresentam sintoma algum.

O que diferencia o acúmulo de gordura benigno da esteatose hepática do acúmulo de gordura prejudicial da esteato hepatite é a presença de inflamação no fígado. Ambos os quadros não costumam causar sintomas. Clinicamente é impossível distingui-los.

É importante destacar que através dos exames de imagem também nem sempre é possível diferenciar casos de esteatose, principalmente em fase avançada, da esteato-hepatite. A ultrassonografia, por exemplo, consegue-se ver bem a gordura, mas não possui sensibilidade suficiente para se descartar ou confirmar a presença de inflamação no fígado.

Os exames de imagem também não conseguem distinguir a esteato-hepatite das outras causas de hepatite. Por isso, uma história clínica, exame físico e análises laboratoriais são imprescindíveis para a avaliação do paciente. Uma boa avaliação médica pode identificar a causa da lesão hepática.

As análises laboratoriais servem para avaliar o grau de lesão do fígado através das chamadas enzimas hepáticas (TGO e TGP ou AST e ALT) e de outros marcadores de doença do fígado, como a gama GT (leia: O QUE SIGNIFICA AST (TGO) E ALT (TGP)?). Na esteatose hepática, as enzimas do fígado estão normais, enquanto na esteato-hepatite há aumento das mesmas.

Para saber sobre os sintomas de outras doenças do fígado, leia: 12 SINTOMAS DO FÍGADO.


SINTOMAS DO FÍGADO

Sintomas do fígado 1# – Sintomas gerais

Pacientes com lesões no fígado costumam apresentar um variedade de sintomas gerais e inespecíficos, que incluem náuseas, perda do apetite, desânimo e emagrecimento. Nos casos de hepatite aguda, o paciente pode também apresentar febre, o que colabora ainda mais para o surgimento deste mal estar.

Um gosto amargo na boca é um sintoma popularmente atribuído a problemas do fígado, mas é uma queixa muito inespecífica, que pode ser desencadeada por varias outras causas, como refluxo, gastrite, lesões dos dentes, lesões na gengiva, infecções na faringe ou amígdalas, desidratação, jejum prolongado, medicamentos, cigarro… Se o paciente não apresentar nenhum outro sintoma, é pouco provável que a sensação de boca amarga seja um sinal de problema hepático relevante.

Sintomas do fígado 2# – Cansaço

Um sintoma frequente em qualquer tipo de doença hepática é a fadiga ou cansaço fácil. Esta falta de energia acomete pacientes com hepatite, cirrose e até esteatose hepática. Quanto mais avançada for a lesão no fígado, mais inapetência o paciente sente.

Sintomas do fígado 3# – Ascite

A ascite é o nome dado ao acúmulo de líquidos dentro da cavidade abdominal, conhecido popularmente como barriga d’água. A ascite é um sintoma típico da cirrose hepática e ocorre frequentemente quando o paciente apresenta hipertensão portal.

Além da cirrose, a esquistossomose é outra doença que costuma acometer o fígado e provocar hipertensão portal e ascite (leia: ESQUISTOSSOMOSE | Sintomas e tratamento).

Publicidade - Publicidad


A ascite surge porque o sangue represado e a elevada pressão dentro das veias do trato gastrointestinal provocam uma translocação de água para fora dos vasos sanguíneos, levando ao acúmulo de líquido dentro da cavidade abdominal. É como se os vasos sanguíneos começassem a sorar água.

A ascite é uma manifestação típica de doença do fígado, mas pode também ocorrer em doenças de outros órgãos, como na insuficiência cardíaca descompensada (leia: INSUFICIÊNCIA CARDÍACA – CAUSAS E SINTOMAS) e na síndrome nefrótica (leia: PROTEINÚRIA, URINA ESPUMOSA E SÍNDROME NEFRÓTICA).

Para saber mais sobre a ascite, leia: ASCITE | Causas e tratamento.

Sintomas do fígado 4# – Circulação colateral

Circulação colateral e ascite na cirrose
Circulação colateral e ascite
Quando há uma obstrução à passagem do sangue pela veia porta, o corpo precisa encontrar outra maneira deste sangue retornar para o coração. Se o caminho natural está fechado, é preciso arranjar um desvio; é isso que o organismo faz. O sangue passa a voltar em grande quantidade por veias colaterais, que em pessoas saudáveis escoam apenas pequenos volumes de sangue.

O desvio de grande quantidade de sangue para as veias colaterais faz com estas se dilatem, ficando bem aparentes ao exame do abdômen. Na foto ao lado, há o exemplo de um paciente com ascite e exuberante circulação colateral, dois sinais típicos da hipertensão portal.

Sintomas do fígado 5# – Sangramento digestivo

A obstrução da veia porta causa um aumento de pressão por todo os sistema venoso do sistema digestivo, incluindo as veias do estômago e do esôfago. Este aumento da pressão provoca varizes nestes órgãos, facilitando a ocorrência de sangramentos.

A hemorragia digestiva por sangramento de varizes do esôfago é uma manifestação típica de cirrose hepática em fases avançadas. O paciente apresenta subitamente quadro de vômitos hemorrágicos, podendo perder grande quantidade de sangue nestes episódios.

O aumento da pressão no sistema digestivo também acomete as veias dos intestinos e do reto, provocando um aumento da incidência de hemorroidas (leia: HEMORROIDA | Sintomas e tratamento) e de sangramento anal.

Sintomas do fígado 6# – Encefalopatia

A encefalopatia é o nome dado a uma disfunção das funções cerebrais básicas. A encefalopatia hepática, como o próprio nome diz, é a alteração das funções cerebrais que ocorre nos pacientes com falência do fígado.

Um dos objetivos do sistema porta hepático é fazer com que toda substância digerida e absorvida no trato digestivo passe obrigatoriamente pelo fígado antes de seguir para o resto da circulação sanguínea. Algumas substâncias que ingerimos, principalmente proteínas de origem animal, são tóxicas e precisam ser metabolizadas pelo fígado antes de poderem ser aproveitadas pelo organismo. Nos casos de hipertensão portal, o sangue segue seu caminho pelas veias colaterais e diversas substâncias tóxicas acabam não sendo metabolizadas pelo fígado antes de se espalharem pelo corpo.

Além da hipertensão portal, quadro de insuficiência hepática aguda, como nas hepatites graves, podem causar uma falência aguda das funções fígado, fazendo com que o mesmo perca a capacidade de neutralizar substâncias tóxicas.

A encefalopatia hepática é o resultado da ação destas toxinas sobre o cérebro. Dependendo do grau de insuficiência hepática ou hipertensão portal o paciente pode apresentar desde quadros leves, com letargia, irritabilidade e dificuldade de concentração, até encefalopatia grave, com redução do nível de consciência e coma.

Sintomas do fígado 7# – Icterícia

Icterícia é nome dado à coloração amarelada da pele, olhos e mucosas, que surge devido ao acúmulo de bilirrubina no sangue.

Icterícia

A bilirrubina é uma substância produzida no baço a partir da destruição de glóbulos vermelhos velhos. Um dos papéis do fígado é captar esta bilirrubina do sangue, metabolizá-la e excretá-la em direção às vias biliares e intestinos, eliminado-a pelas fezes.

Quando o fígado encontra-se doente, o mesmo perde a capacidade de metabolizar e/ou eliminar a bilirrubina que é constantemente produzida pelo baço. Nesta situação há acumulo de bilirrubina no sangue e deposição do excesso na pele, o que provoca a aparência amarelada da mesma. A icterícia vem frequentemente associada à coceira, pois a bilirrubina depositada na pele causa irritação das terminações nervosas.

icteríciaDois outros sinais costumam ocorrer junto com a icterícia: fezes claras (acolia fecal) e urina muito escura. A bilirrubina é a responsável pela coloração marrom das fezes. Se por algum motivo a bilirrubina não estiver sendo excretada em direção aos intestinos, a fezes deixarão de ter sua coloração habitual, tornando-se bem mais claras. Já a urina escura, cor de Coca-Cola ou Mate, ocorre pela filtração do excesso de bilirrubina circulante no sangue pelos rins, que acaba sendo excretado pela urina.

Várias doenças do fígado podem causar icterícia, as mais comuns são as hepatites e a cirrose. A icterícia também pode ocorrer em doenças das vias biliares, em infecções como malária ou leptospirose (leia: LEPTOSPIROSE | Sintomas e tratamento), em casos de hemólise (destruição maciça de glóbulos vermelhos) ou por reação adversa a alguns remédios.

Portanto, a ictérica é um sinal típico de doenças do fígado, porém não é um sinal exclusivo de problemas hepáticos. Para saber mais sobre icterícia, leia: ICTERÍCIA | Neonatal e adulto.

Sintomas do fígado 8# – Manchas roxas na pele

O paciente com doença hepática pode apresentar uma maior facilidade em desenvolver equimoses (manchas roxas na pele) e sangramentos após traumas de pequena intensidade. Isto ocorre porque o fígado é responsável pela produção de proteínas que participam do sistema de coagulação do sangue. Pacientes com doença hepática podem ter deficiência da coagulação, apresentando sangramentos com maior facilidade.

Além da deficiência dos fatores de coagulação, que pode ocorrer em qualquer situação de mal funcionamento do fígado, os pacientes com cirrose e hipertensão portal frequentemente apresentam também uma número baixo de plaquetas, o que é mais um fator que colabora para uma maior dificuldade em coagular o sangue.

Sintomas do fígado 9# – Ginecomastia

Ginecomastia é o nome que se dá ao desenvolvimento de mamas nos homens. Pacientes do sexo masculino com cirrose frequentemente apresentam ginecomastia. As causas ainda não estão bem elucidadas, mas acredita-se que seja por causa da elevação da concentração de estrogênio no sangue, que ocorre tanto pelo aumento da produção, como pela redução da metabolização deste hormônio feminino pelo fígado.

Outro fator importante para o surgimento da ginecomastia é o uso habitual do diurético espironolactona, indicado no tratamento da ascite nos pacientes com cirrose. Um dos efeitos colaterais mais comuns da espironolactona é a ginecomastia, que pode ocorrer mesmo quando usada em pacientes sem doença do fígado.

Sintomas do fígado 10# – Teleangiectasias

Teleangiectasia

As teleangiectasias, também chamadas de aranhas vasculares, são lesões vasculares compostas de uma arteríola central rodeado por muitos vasos pequenos. As teleangiectasias são mais frequentemente encontradas no tronco, face e braços.

A origem das aranhas vasculares não está completamente desvendada, acredita-se, porém, que essas lesões resultem de alterações no metabolismo de hormônios sexuais, principalmente do estrogênio.

As teleangiectasias são muito comuns na cirrose, mas podem também ser vistas durante a gravidez ou em pessoas saudáveis. Nestes dois casos as lesões costumam ser pequenas e em número menor que três. Na cirrose, quanto mais avançada é a doença, maior costuma ser o tamanho e o número das aranhas vasculares presentes.

Sintomas do fígado 11# – Eritema palmar

Eritema palmar é o nome dado a uma palma da mão muito avermelhada, principalmente nas regiões tenar e hipotenar (músculos da palma da mão), poupando geralmente as partes centrais da palma. O eritema palmar não é um sinal específico de doença do fígado, podendo também ser visto em pacientes com artrite reumatoide, hipertiroidismo e nas grávidas.

Sintomas do fígado 12# – Dor abdominal

A dor abdominal, localizada no quadrante superior direito, é um sintoma comum das doenças do fígado, principalmente nas hepatites agudas. Ela geralmente ocorre por aumento do tamanho do fígado, que provoca esgarçamento da cápsula hepática, uma espécia de capa que recobre todo o fígado.

É preciso notar que dor na região do fígado também pode ser provocada por várias outras condições, incluindo problemas na vesícula, vias biliares, base do pulmão direito e até lesões nas costelas ou na musculatura abdominal.


-----------------------------------------------------------------------------------
Curta e siga nossa página aqui pelo Facebook Gastrobese Clinica
Acesse: www.gastrobese.com.br
Nosso canal no youtube:
https://www.youtube.com/user/gastrobese