Blog

Cirurgia bariátrica e o consumo de bebidas alcoólicas

A cirurgia é o procedimento cirúrgico eletivo mais realizado na cavidade abdominal. Isso é consequência dos excelentes resultados obtidos no controle do peso, e das doenças a ele relacionadas.

No entanto, como em todos os procedimentos, a cirurgia bariátrica também está associada a efeitos indesejados como, deficiência de vitaminas, ferro, cálcio, doença do refluxo, diarreia e outros.

Seria a dependência química, sobretudo o consumo excessivo de álcool uma delas?

Este tema é bastante controverso. Uma série de estudos tem demonstrado que pacientes que abusam de álcool após a cirurgia já o faziam antes de operar.

Uma hipótese é de que a cirurgia, ao fazer o paciente comer menos, aumenta o estado de embriaguez e este pode ser indutor de dependência.

Outra teoria é de que antes de operar o paciente tinha no excesso alimentar um efeito “calmante” da cirurgia manifestado por sonolência pós-alimentar.

Essa sonolência desaparece após à cirurgia pois a saciedade vem antes. Aliás este é o objetivo da cirurgia. Alguns pacientes buscam no álcool a “embriaguez” que alcançavam com alimento.

Por fim, observa-se que pacientes que passam a consumir álcool com frequência após a cirurgia acabam ganhando muito peso. Isso pode estar associado a uma interação do álcool com os hormônios relacionados ao apetite.

Como o organismo sempre busca retornar o peso ao máximo já alcançado, poderia estar no álcool a tentativa do corpo em vencer a cirurgia recuperando peso. Isso poderia explicar consumo excessivo desta substância em quem previamente era abstêmio.

Mas existem outros estudos mostrando que o consumo de álcool diminui na maioria dos pacientes, mas em alguns aumentam.

O fato é que cirurgia bariátrica e álcool não combinam. A recomendação é para que os pacientes que façam cirurgia bariátrica, se possível, não bebam e se o fizerem que fiquem restrito ao consumo máximo limitado a uma vez por semana.

O consumo maior do que uma vez por semana pode anular completamente a perda de peso. Se essa frequência estiver aumentando, recomendamos que antecipe seu acompanhamento psicológico ou psiquiátrico.

Cabe ao paciente evitar o consumo de álcool e prevenir a dependência.

Open chat