Cirurgia digestiva

LAPAROSCOPIA NO CÂNCER DIGESTIVO

A cirurgia laparoscópica ( videocirurgia) é amplamente utilizada para realização de colecistectomias ( cirurgia de vesícula ) , apendicectomias e cirurgias para obesidade. Porém suas vantagens vão além destes procedimentos. O tratamento cirúrgico laparoscópico das neoplasias do aparelho digestivo pode ser realizado na maioria dos casos e apresenta vantagens comprovadas. A menor intensidade de agressão à parede abdominal e a estruturas da cavidade abdominal, melhora a recuperação pós-operatória com menor intensidade de dor e alta hospitalar mais precoce.

APENDICITE AGUDA

A apendicite aguda é uma doença muito frequente e ocorre com maior frequência em adolescentes e adultos jovens, mas pode ocorrer em todas as idades. Geralmente inicia com quadro de inapetência, náuseas e dor na parte superior ou central do abdome que em algumas horas migra para o lado direito da parte inferior do abdome. Seu tratamento é cirúrgico e consiste na retirada do apêndice cecal inflamado. esta cirurgia pode ser realizada pela técnica videolaparoscópica, com as vantagens de apresentar menor taxa de infecção de ferida cirúrgica, menos dor pós-operatória, menor tempo de internação e melhor resultado estético.

CIRURGIA DA VESÍCULA BILIAR

A colelitíase é uma das mais frequentes doenças cirúrgicas do aparelho digestivo. A cirurgia é indicada para pessoas que possuem cálculos (pedras) na vesícula com sintomas associados como dor na boca do estômago ou no lado direito do abdome, assim como náuseas ou vômitos associados à alimentação. A história clínica sugere sua ocorrência , mas para confirmar a presença de cálculos, faz-se necessária a ultra-sonografia de abdomem.

A cirurgia é necessária porque estas pedras podem causar dor recorrente, inflamação da vesícula e até mesmo patologias graves como pancreatite aguda, além de outras complicações.
Esta operação é executada por acesso videolaparoscópico com 3 a 4 pequenas incisões no abdome, tendo geralmente um pós-operatório com pouca dor, recebendo alta 24 horas após o procedimento e, na maioria dos casos, é possível retornar ao trabalho em 1 a 2 semanas.

CIRURGIA LAPAROSCÓPICA DO REFLUXO GASTROESOFÁGICO

A doença do refluxo gastroesofágico é doença crônica, geralmente incurável, e que frequentemente determina sintomas perturbadores como azia, regurgitação de líquido para a boca, dores em queimação na parte superior do abdome, entre outros. O tratamento é necessário para controle dos sintomas e para evitar complicações da doença, que muitas vezes podem ser graves. Este pode ser realizado tanto com medicamentos como através de cirurgia.

O tratamento cirúrgico da doença do refluxo é indicado principalmente para pessoas que que não apresentaram melhora dos sintomas e das complicações com o tratamento medicamentoso assim como aqueles que não desejam tratar continuamente com medicamentos já que esta doença tem caráter crônico.

A cirurgia é realizada por laparoscopia, procedimento minimamente invasivo, que através de mínimas incisões sob visualização de uma microcâmera, permite a correção da hérnia de hiato e confecção da válvula anti-refluxo. Esta operação, permite uma melhor recuperação pós-operatória e alta mais precoce.

CIRURGIA DO CÂNCER DIGESTIVO

A cirurgia laparoscópica ( videocirurgia) é amplamente utilizada para realização de colecistectomias ( cirurgia de vesícula ) , apendicectomias e cirurgias para obesidade. Porém suas vantagens vão além destes procedimentos.
O tratamento cirúrgico laparoscópico das neoplasias do aparelho digestivo pode ser realizado na maioria dos casos e apresenta vantagens comprovadas.
A menor intensidade de agressão à parede abdominal e a estruturas da cavidade abdominal, melhora a recuperação pós-operatória com menor intensidade de dor e alta hospitalar mais precoce.

HÉRNIA INGUINAL E CIRURGIA LAPAROSCÓPICA

As hérnias inguinais (que ocorrem na região da virilha), são mais frequentes em homens e caracterizam-se por abaulamento na região inguinal, dor ou desconforto local, que pioram com o esforço físico ou quando o paciente fica em pé. Pode ocorrer melhora dos sintomas e desaparecimento do abaulamento inguinal quando o paciente deita. O tratamento das hérnias inguinais é cirúrgico e pode ser realizado de forma aberta ou por videolaparoscópica. A técnica laparoscópica apresenta algumas vantagens como melhor resultado estético, menor dor pós-operatória e possibilita a correção de hérnias dos dois lados com as mesmas incisões, além de proporciona um retorno mais precoce ao trabalho.

Loading…